Uma professora particular de Utrera é investigada por abuso sexual de menor

O Tribunal de Primeira Instância e Instrução número três de Utrera iniciou uma investigação sobre a denúncia apresentada por pais contra um professor particular por suposto abuso sexual de seu filho. Os pais acusam a professora de abusar sexualmente da menor, de onze anos, que frequentava aulas de reforço na casa deste homem. O caso é agravado porque A professora tem um histórico de crimes sexuais semelhantes.

De acordo com a denúncia inicial apresentada em março à Guarda Civil, e posteriormente homologada perante o tribunal em 28 de setembro, a criança frequentava aulas particulares de segunda a quinta-feira na casa da professora. Porém, Nas tardes de sexta-feira, o menor também ia à casa da professora para atividades complementares, como assistir filmes.. Os pais ficaram alarmados ao descobrirem uma mensagem de WhatsApp no ​​celular da criança na qual ela perguntava à professora se ela deveria sentar nele durante o filme, ao que a professora respondeu afirmativamente. A criança, ao ser questionada pelos pais, não falou sobre o assunto e demonstrou sinais de angústia.

Conversas inapropriadas no WhatsApp com o menor

Preocupados com a situação, os pais descobriram que O professor teve conversas inapropriadas com o filho pelo WhatsApp e que ele lhe deu presentes. Além disso, descobriram que o professor tinha histórico de crimes sexuais contra menores e já havia sido condenado à prisão no passado.

A Guarda Civil Ele prendeu o professor em março, embora ele tenha sido libertado posteriormente sem fiança pelo Tribunal. A investigação continua em curso e as autoridades educativas e locais foram informadas do proibição do professor trabalhar com menores devido ao seu passado.

Alba Canovaca

Jornalista. Comunicando e aprendendo com tudo ao meu redor. Envolvido no jornalismo social. Mais de Alba Canovaca

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *