Um churrasco em família, a possível origem de um incêndio florestal em Pedrera

A Guarda Civil teve conhecimento de um incêndio ocorrido em outubro passado, na zona conhecida como “Sierra de la Cruz”, município da localidade de Pedrera.

Neste incêndio foram queimados mais de 10 hectares de área florestal e mais de 20 hectares de terrenos agrícolas, afetando culturas como oliveiras e amendoeiras, embora não tenha havido feridos pessoais nem despejos em habitações ou instalações.

Pela Equipa de Investigação (SEPRONA) do Serviço de Protecção da Natureza do Comando da Guarda Civil de Sevilha, foi iniciada uma investigação para esclarecer as possíveis causas que originaram o incidente, bem como a sua possível autoria.

Durante a inspeção visual na área afetada, e após estreita colaboração com a Brigada de Investigação das Causas de Incêndios Florestais (BIF) – pertencente ao Corpo de Agentes Ambientais da Junta de Andaluzia -, foi localizado o ponto de ignição. De uma fogueira feita por um grupo de pessoas que faziam um churrasco em família, saltou uma brasa e, atiçada pelo forte vento que soprava no local, rapidamente se espalhou pelo resto da vegetação circundante.

A Polícia Local de Pedrera respondeu ao incêndio nos primeiros minutos e coletou informações importantes sobre possíveis testemunhas, veículos relacionados e identificação de pessoas, fornecendo evidências valiosas para posterior estudo.

Após analisar todas as informações disponíveis, os agentes responsáveis ​​pelo caso conseguiram localizar as testemunhas que estavam nas proximidades do incêndio naquele dia; Após a recolha dos seus depoimentos e a verificação rigorosa do que eles próprios disseram, foram identificados os alegados autores, dois homens e duas mulheres, todos pertencentes à mesma família. Os identificados foram intimados e informados dos seus direitos enquanto investigados pelo crime de incêndio florestal negligente e, após prestarem declarações, todos reconheceram a responsabilidade pelos factos de que foram acusados.

A investigação foi assim concluída com a tramitação do correspondente boletim de ocorrência e o seu encaminhamento ao correspondente Tribunal de Primeira Instância e Instrução de Estepa, à cuja disposição ficaram os alegados autores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *